Quem é Rogério Midlej?

Baiano de nascimento, Rogério Midlej estreou no palco no musical Noturno, dirigido em 1998 por Oswaldo Montenegro. Participou do programa Fama, da Rede Globo, em 2002, ano em que realizou seu primeiro show, na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional, em Brasília. Em 2005, lançou seu primeiro CD, Quintal Do Meu Mundo, com produção de André Vasconcellos, em show no Rio de Janeiro, com participação de Flávio Venturini. Apresentou-se em casas tradicionais cariocas, como Café Sacrilégio, Centro Cultural Carioca, Café Teatro Arena e SESC Ginástico, onde cantou com o Trio Esperança e os Golden Boys. Esse encontro levou à gravação de um dueto com a cantora Evinha na canção Mais Do Que O Mar, em 2006, versão de uma canção francesa com letra de Midlej.

Em 2014, recebeu da Academia Brasileira de Honrarias ao Mérito a Soberana Ordem do mérito da Música e a Medalha Renato Russo, ano em que também foi vencedor do Prêmio Brasília Top Show na categoria “Melhor Cantor de MPB” (além de eleito pelo voto popular, o artista teve 17 dos 22 votos técnicos).

Em 2018, o artista participou do espetáculo “Chet Baker – Retratos Musicais”, um tributo ao renomado trompetista, produzido pela All of Mi Produção Musical e Design. Também se apresentou no Clube da Bossa Nova e no Clube do Choro, importantes palcos de sua cidade.

Com mais de 20 anos de carreira, reconhecido pela sua versatilidade e extensão vocal privilegiada, o cantor hoje se define como um artista essencialmente romântico. Vem se apresentando atualmente com tributos a Frank Sinatra, standards de jazz, boleros e canções italianas, além de cumprir a agenda de casamentos e eventos sociais de sua empresa Consultoria Musical, em Brasília e vários estados.

Para 2021, Midlej prepara dois novos discos: o primeiro, gravado ao vivo em áudio e vídeo no ano passado, apresenta standards de jazz e algumas canções brasileiras, entre elas Duas Contas, do compositor Garoto, em versão inédita em português do compositor Ivan Dutra. O segundo traz canções italianas da década de 60 eternizadas nas vozes de Peppino di Capri, Domenico Modugno, Sergio Endrigo e Pino Donaggio. Também inicia a seleção de repertório para um disco somente de música brasileira.

O cantor também conquistou os restaurantes mais badalados de Brasília, realizando apresentações no Med Cuisine & Club, Café Banana, Limoncello, Oliver, Piantela, C’est si Bon dentre outros excelentes e bem frequentados locais.